Facebook       Twitter

Déficit Habitacional no Brasil cresce e chega a quase 6 milhões

0

De acordo com o relatório divulgando pela Fundação João Pinheiro em março deste ano, Em 2019 o déficit habitacional no Brasil foi de 5, 877 milhões de domicílios. O estudo foi contratado pela Secretaria Nacional de Habitação do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR).

O cálculo do déficit habitacional no Brasil é realizado pela Fundação João Pinheiro desde 1995. Durante sua evolução, o cálculo ganhou novas variáveis para o aperfeiçoamento das estimativas de falta de moradias e/ou da existência de moradias em condições inadequadas para habitação.

Fonte: Dados básicos: Instituo Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNADC) - 2019; Cadastro Único (CadÚnico) – Data de extração: 14/11/2020. Elaboração: Fundação João Pinheiro (FJP), Diretoria de Estatística e Informações (Direi).

Fonte: Dados básicos: Instituo Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNADC) – 2019; Cadastro Único (CadÚnico) – Data de extração: 14/11/2020. Elaboração: Fundação João Pinheiro (FJP), Diretoria de Estatística e Informações (Direi).

Os resultados do déficit habitacional e inadequação de moradias no Brasil (2016 a 2019) identificaram que o déficit absoluto registrou tendência de aumento entre os anos 2016 e 2019. A habitação precária registrou incremento entre os domicílios improvisados. Já a coabitação apresentou declínio em seus dois componentes (cômodos e unidades conviventes) e o ônus excessivo com aluguel urbano demonstrou alta contínua no período analisado.

Fonte: Dados básicos: Instituo Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNADC) - 2019; Cadastro Único (CadÚnico) – Data de extração: 14/11/2020. Elaboração: Fundação João Pinheiro (FJP), Diretoria de Estatística e Informações (Direi).

Fonte: Dados básicos: Instituo Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNADC) – 2019; Cadastro Único (CadÚnico) – Data de extração: 14/11/2020. Elaboração: Fundação João Pinheiro (FJP), Diretoria de Estatística e Informações (Direi).

Um dos resultados da pesquisa demonstra o ônus excessivo com aluguel urbano como o principal componente do déficit habitacional no Brasil, passando de 2,814 milhões de domicílios, em 2016, ele respondia por 49,7% do déficit. Já em 2019 essa participação cresceu para 51,7%.

No geral foi identificado e destacado o aumento da participação das mulheres como responsáveis pelos domicílios característicos do déficit. Esse é um dado importante para novas análises e a formulação de políticas públicas direcionadas à solução do problema.

Para conferir o relatório na íntegra clique aqui.

Share.

About Author

Leave A Reply

Powered by themekiller.com