Facebook       Twitter

Smart City: ABC reúne gestores públicos para debater tecnologia e sustentabilidade na habitação de interesse social

0

 

Os desafios na implantação de tecnologias de soluções sustentáveis na habitação de interesse social foram temas de discussão durante os painéis coordenados pela Associação Brasileira de Cohabs e Agentes Públicos de Habitação (ABC) no Smart City Business América Congress & Expo. Em sua 5ª edição, o congresso está sendo realizado em Curitiba, de 22 a 24 de maio de 2017, e reuniu gestores públicos, empresários e ONGs em busca de novos modelos de soluções sustentáveis.

Os projetos habitacionais sustentáveis foram apresentados pela presidente da Cehap/PB, Emília Correa Lima, o presidente da Prolar, Dino Athos Schrutt, e o representante da Habicad, Adriano Krzyuy. A mediadora foi a superintendente da Cohapar, Jocely Loyola. A presidente da ABC e da AGEHAB/MS, Maria do Carmo Avesani Lopez, integrou a mesa e participa do debate. Foto: Rafael Silva/ Cohab-Curtiba

Os projetos habitacionais sustentáveis foram apresentados pela presidente da Cehap/PB, Emília Correa Lima, o presidente da Prolar, Dino Athos Schrutt, e o representante da Habicad, Adriano Krzyuy. A mediadora foi a superintendente da Cohapar, Jocely Loyola. A presidente da ABC e da AGEHAB/MS, Maria do Carmo Avesani Lopez, integrou a mesa e participa do debate. Foto: Rafael Silva/ Cohab-Curtiba

A ABC convidou especialistas e gestores públicos para debaterem acerca das tecnologias que estão sendo implementadas em conjuntos habitacionais, que visam diminuir os impactos ao meio ambiente. Houve também a palestra para esclarecer a aplicação da ISO 37120 que estabelece indicadores para medir a sustentabilidade das cidades, e a apresentação do sistema HABICAD para a gestão habitacional pública. E representantes da Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano do Estado de São Paulo (CDHU) apresentaram projetos inovadores para a gestão pública.

Energia solar e fotovoltaica

Foram apresentados projetos de empreendimentos habitacionais sustentáveis desenvolvidos nos municípios de Ponta Grossa (PR) e Guarabira (PB).

O presidente da Companhia de Habitação de Ponta Grossa (PR) apresentou o conjunto habitacional os residenciais Londres, Panamá e Costa Rica, que estão localizados próximo a equipamentos públicos e ao centro urbano do município. E também contou sobre a experiência com aquecimento solar, sistema de aproveitamento da água da chuva, e ocupação mista com atendimento as Faixas 1 e 2 do PMCMV, no conjunto habitacional Esplendore.

Em Guarabira (PB), foi lançado pela Companhia de Habitação Popular do Estado da Paraíba (Cehap/PB) o programa Cidade Madura para atender a população idosa. O empreendimento possui o sistema de placas de energia solar fotovoltaica, que visa diminuir os gastos com energia. Para participar do programa os beneficiários precisam ter mais de 60 anos, podendo morar sozinho ou com o companheiro (a), renda de até cinco salários mínimos, e deve ter autonomia para poder realizar as atividades da vida cotidiana.

Tecnologia

A importância do know how dos construtores por meio da plataforma HABICAD foi exibida pelo Diretor de Tecnologia da empresa HABICAD, Adriano Krzyuy. O sistema possui várias funcionalidades para a gestão habitacional pública. Além disso, o sistema é online e pode ser acessado de qualquer local.

A plataforma possui módulos operacionais como agendamentos, cadastro de demanda qualificado, empreendimentos e contratos. E também possibilita a visualização e gestão dos empreendimentos por meio do Sistema de Informações Geográficas (GIS), que é capaz de produzir, armazenar, processar e analisar informações sobre o espaço geográfico gerando mapas temáticos, imagens de satélites, gráficos e tabelas.

Cidades Sustentáveis

O Diretor de Atendimento Habitacional da CDHU, Ernesto Mascellani Neto, o coordenador do programa de inovação e sustentabilidade da CDHU, Sílvio Vasconcellos, e o professor da Escola Politécnica da USP, Alex Abiko. A discussão foi mediada pela presidente da ABC e diretora presidente da AGEHAB/MS, Maria do Carmo Avesani Lopez. Foto: Rafael Silva/ Cohab-Curtiba

O Diretor de Atendimento Habitacional da CDHU, Ernesto Mascellani Neto, o coordenador do programa de inovação e sustentabilidade da CDHU, Sílvio Vasconcellos, e o professor da Escola Politécnica da USP, Alex Abiko. A discussão foi mediada pela presidente da ABC e diretora presidente da AGEHAB/MS, Maria do Carmo Avesani Lopez. Foto: Rafael Silva/ Cohab-Curtiba

O conceito de sustentabilidade é amplo, e por isso há necessidade de estabelecer indicadores para definir quais são as características de uma cidades, bairro ou empreendimentos sustentáveis. O professor da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP), Alex Kenya Abiko, apresentou durante a mesa coordenada pela ABC no Smart City a ISO 37120/2017, que estabelece indicadores para serviços urbanos e qualidade de vida no Brasil.

A ISO 37120 foi baseada em diversas outras normas de diferentes países e adaptadas para de atender as demandas brasileiras. Foi criada uma Comissão de Estudos Especial para elaborar a norma, que estabeleceu 100 indicadores de sustentabilidades, sendo 46 essenciais e 54 de apoio. Assim, será possível medir o nível de sustentabilidade, além de comparar e acompanhar as mudanças de cada cidade.

Inovação e gestão pública

A Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano do Estado de São Paulo (CDHU) já comercializou 514 mil unidades habitacionais beneficiando mais de 2 milhões de pessoas. Foi criado na CDHU o Comitê de Inovação e sustentabilidade. Segundo o Superintendente de Orçamento, Programação e controle da CDHU, Silvio Vasconcellos, o comitê é baseado em três pilares: ambiental, social e econômico. O intuito é fomentar parcerias para estudos e projetos-piloto que proponham medidas para a melhoria das ações nessa área, o monitoramento e avaliação das medidas, e também fomentar a inovação vinculada a temas estratégicos e ações prioritárias. Para isso foram selecionados os principais temas para novas soluções a serem implantadas, como gestão de resíduos, racionalização do uso da agua, eficiência energética, selos e indicadores. A implementação dessas ações já está em curso nos empreendimentos entregues mais recentes.

Os desafios na implantação de tecnologias de soluções sustentáveis na habitação de interesse social foram temas de discussão nos painéis coordenados pela ABC no Smart City. Foto: Rafael Silva/ Cohab-Curtiba

Os desafios na implantação de tecnologias de soluções sustentáveis na habitação de interesse social foram temas de discussão nos painéis coordenados pela ABC no Smart City. Foto: Rafael Silva/ Cohab-Curtiba

Para tornar a prestação de serviços mais ágil e eficiente na companhia foi utilizado o Customer Relationship Management (CRM), que sistematiza e armazena dados atualizados do cliente do imóvel. O Diretor de Atendimento Habitacional da CDHU, Ernesto Mascellani Neto, explicou que o sistema aproximou os mutuários à companhia, pois as demandas estão descritas e agrupadas por beneficiário. Com isso houve uma reestruturação interna para atender as demandas do sistema, gerando, inclusive, redução de inadimplência, ganho de eficiência, redução de custos e aumento da produtividade. Todo o processo custou R$360 mil, e como resultado gerou R$3,85 milhões.

Por: Beatriz Carlos

Share.

About Author

Leave A Reply

Powered by themekiller.com