Facebook       Twitter

Calote de beneficiários com parcelas de casas populares chega a 37% no AP

0

Percentual é de um universo de 4.087 unidades habitacionais entregues. É considerado inadimplente beneficiário com atraso de 90 dias em parcelas

Conjunto habitacional São José Macapá está no faixa 1 (Foto: Abinoan Santiago/G1)

Conjunto habitacional São José Macapá está no faixa 1 (Foto: Abinoan Santiago/G1)

Dados do Ministério das Cidades mostram que em 37% das 4.087 unidade habitacionais entregues no Amapá há calote no pagamento mensal ao programa Minha Casa Minha Vida, do Governo Federal. É o sétimo pior desempenho do país na regularidade de quitação dos imóveis.

O percentual corresponde aos empreendimentos dentro da faixa 1, destinados aos beneficiários com renda mensal bruta até R$ 1,8 mil. Os números abrangem até setembro de 2016 e são os mais recentes dados sobre a inadimplência com o programa.

Para ser considerado inadimplente, o Ministério das Cidades calcula os beneficiários com atraso de 90 dias nas parcelas pagas pelo imóvel entregue. Ao todo, são 120 mensalidades, que variam de R$ 25 a R$ 80 na faixa 1 do Minha Casa, Minha Vida. O valor depende da renda do titular da unidade.

No Amapá, são do faixa 1 os conjuntos habitacionais São José, Mestre Oscar e Macapaba I, todos em Macapá. Segundo o Ministério das Cidades, não tem como saber qual o residencial que mais tem beneficiários inadimplentes.

Além deles, também serão incluídos no faixa 1 os conjuntos Açucena e Macapaba II, previstos para serem entregues em 2017.

“Resolver a questão da inadimplência é um dos desafios atualmente enfrentados no Minha Casa, Minha Vida. As principais ações são realizadas pelo trabalho social, que reforça a importância de, mesmo sendo um valor simbólico, manter a pontualidade dos pagamentos, uma vez que embora pouco relevantes, contribuem para que outras famílias também tenham moradia digna. Além disso, orienta as famílias quanto à correta utilização do imóvel, bem como reforça orientações de convivência na comunidade”, comentou em nota, o Ministério das Cidades.

Em caso de inadimplência, o beneficiário tem sanções administrativas, que variam da notificação à perda do imóvel. Antes de serem aplicadas medidas extremas, são enviados avisos do calote para a casa da pessoa logo após 30 dias da primeira parcela vencida, além da oferta de renegociação dos débitos por meio de acordo administrativo com parcelamento dos encargos em atraso e incorporação no saldo devedor.

Tem alguma notícia para compartilhar? Envie para o VC no G1 AP ou por Whatsapp, nos números (96) 99178-9663 e 99115-6081.

Fonte: G1

Share.

About Author

Leave A Reply

DEPOIMENTOS


  • perfil-sombra_318-40244
    LUIS ALVES

    Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Curabitur mi mi, malesuada et urna aliquam, dapibus eleifend ligula. Pellentesque

  • image3
    NICOLE ALMEIDA

    Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Curabitur mi mi, malesuada et urna aliquam, dapibus eleifend ligula. Pellentesque a venenatis ipsum.

  • persona19
    FLAVIO BARRETO

    Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Curabitur mi mi, malesuada et urna aliquam, dapibus eleifend ligula. Pellentesque a venenatis ipsum.


Powered by themekiller.com